Aplicações

 
Classroom Classroom
Email Email
Inovar Consulta Inovar Consulta
SIGE SIGE
Moodle Moodle
 
Inovar Docentes Inovar Docentes
Inovar Consulta Inovar PAA
Restrito Restrito
 

3º ciclo Secundário

Escola Secundária de Vergílio Ferreira
Quinta dos Inglesinhos, Rua do Seminário
1600-764 Lisboa
Tel: 21 712 20 20 / Fax: 21 715 46 82
esvf@aevf.pt

ES Vergilio Ferreira

Avaliações Intercalares

Os Encarregados de Educação podem aceder ao portal da aplicação Inovar para consultar as avaliações intercalares.


Entrevista - JF Carnide

  1. Quem teve a ideia de uma mascote para a cidadania?
  2. Foi uma criança de Carnide que há muito tempo atrás teve a ideia e que me desenhou. Depois o sonho dela tornou-se realidade, a Junta concretizou e criou essa mascote. O Sou. 

  3. O que significam as cores escolhidas?
  4. Sou azul e verde porque são as cores do planeta terra. Porque eu gosto de cuidar do planeta terra. Ajudo os amigos a aprenderem a tratar bem do nosso planeta, a poupar a água, a não deitar o lixo para o chão, a ser um bom cidadão do nosso planeta. E também tenho esta cor verde porque representa a tranquilidade. Eu sou muito tranquilo e gosto de estar em tranquilidade, gosto de resolver os problemas de uma forma tranquila, a conversar.

  5. Que outros projectos têm para a juventude?
  6. Projectos há muitos. Tanto os nossos como aqueles que nos são propostos pelas nossas associações. Nós temos um movimento associativo muito forte. Existem muitas associações, desde associações ligadas à cultura, outras ao desporto, muitas a trabalhar especificamente com os jovens. Muito trabalho que é feito na Junta não é feito necessariamente pela Junta. Nós achamos que a Junta não tem de se substituir às instituições que já existem. Portanto, muitas vezes o nosso trabalho é apoiar o trabalho dos outros, para que os outros tenham condições ou o estímulo para desenvolver esse trabalho. Temos, felizmente, aqui na freguesia, associações muito dinâmicas. Podemos falar, por exemplo, a Associação Nacional de Futebol de Rua, é um projecto muito interessante para a juventude e que trabalha não só no bairro Padre Cruz como também, mais recentemente, na Horta Nova. Eles fazem um trabalho muito interessante com os jovens utilizando o desporto, como forma de captar e interessar os jovens. Por detrás disso vem muita coisa, vem o apoio ao estudo, à construção de uma carreira no futuro, a procura de emprego, uma série de coisas… Nós, como Junta, temos vários projectos nossos, sempre em colaboração com essas associações. Não acreditamos no trabalho isolado. Por exemplo, no ano passado desenvolvemos com eles dois projectos. Um com os jovens de Carnide, no sentido de perceber o que fazem e gostariam de fazer nos tempos livres. Isso interessa-nos, gostamos de saber o que os jovens pensam, porque nós podemos estar enganados. Não sou jovem há muito tempo, já tenho 44 anos.

  7. E o outro projecto de que falou?
  8. O outro projecto tem a ver com o envolvimento da juventude no movimento associativo. Como digo, em Carnide existem muitas associações que, se calhar, vocês não conhecem e que já desenvolvem trabalho em áreas que vos dizem respeito. Em primeiro lugar, explicamos em que consiste o movimento associativo, como é que os jovens podem fazer a diferença. Os jovens não têm de estar à espera que as coisas sejam resolvidas, podem envolver-se e fazer parte da mudança. E o movimento associativo é uma das formas mais ricas de o fazer. Porque estão a fazer algo de que gostam também, porque há coisas para todos os gostos. Há associações para a cultura, para o teatro, para o desporto, o desporto radical, e podem fazer a diferença com as associações existentes. Ou então, podem eles próprios criar uma associação. Imaginem que vocês têm um gosto muito especial por uma actividade e não existe, em Carnide ou no país, uma associação dedicada a isso. Agora vou brincar um bocadinho. Imaginem que adoram aquários e peixes e vêm que não existe na vossa zona uma associação para a aquariofilia, para o gosto pelos peixes. Daí que a nossa ideia seja ir às escola, explicar o que é o movimento associativo, dizer quais as associações que existem e qual é a forma de serem vocês próprios a criarem uma associação se for essa a vossa orientação.

Edição da entrevista:
João Meireles
Kevin Fonseca


Fernando Pessoa e o desassossego de Bernardo Soares

1ª Sessão: 9 Novembro, 10.05h. – Auditório Manuela esperança
2ª Sessão: 10 Novembro, 11.50h – Auditório Manuela Esperança

Uma iniciativa de “Ler e pensar na era digital” (grupo 410) com a participação especial de Carlota Fole (violoncelo), Carolina Loureiro (diretora de cena), Mariana Figueira (interpretação), Marta Serôdio (interpretação), Rita Vieira (interpretação), Beatriz Lopes (vídeo), Francisco Alves (vídeo), Catarina Silva (apoio técnico).


Estudar no estrangeiro

 

Porquê Estudar no Estrangeiro?

Há um momento em que tu sabes. Percebes que o mundo vai muito para além da tua casa, do teu canal de televisão, da tua escola... Há um dia em que te apercebes de que há mais. Muito mais! Percebes, principalmente, que não sabes tudo. Aliás, sabes até muito pouco. Essa perceção não é fácil... Custa perceber que tudo o que conheces é apenas uma ínfima parte daquilo que há para conhecer.E depois? Como se compreende o mundo imenso lá fora? É simples: olha-se por uma janela diferente. Essa é a parte difícil.... Para se ver outra paisagem, tem de se mudar de lugar. Portanto, procura-se outro horizonte. Ou tenta-se, pelo menos. Vê-se uma perspetiva diferente de uma realidade outrora aparentemente conhecida. Nela, o céu confunde-se com o mar e nem olhando bem perto é possível detetar a diferença. Não se sabe ao certo se as nuvens estão pousadas à tona da água, ou se se está a uma altitude suficientemente elevada para que até as nuvens pareçam distantes.Há um momento em que tu percebes. Percebes que o mundo vai muito para além dos livros que leste, dos filmes que viste e das músicas que ouviste. Há um dia em que juntas toda essa informação e, ainda assim, parece que não sabes nada. É tempo de estenderes os teus horizontes e procurares aquilo que nunca soubeste que existia. Não há propriamente um momento certo. Por isso, cria-o!

Porquê a Brock University?

Sempre que alguém me pergunta porque escolhi a Brock University, eu costumo contar a história, cujo nome é “O Meu Pai Ttrabalha Para Uma Empresa Canadiana”... Contudo, a Brock é muito mais do que isso e não há muitas palavras que a descrevam efetivamente.

Brock University significa comunidade, experiência, união e oportunidade! É um local onde podes aprender através dos teus próprios erros, uma vez que tens todo o espaço do mundo para seres quem és! Aqui, a diversidade não só é aceite, como também é respeitada e celebrada!

Por um lado, as aulas, o acesso a tecnologia de última geração e a creatividade faz de nós melhores estudantes. Por outro lado, está a experiência espelhada nos mais diversos eventos: workshops gratuitos, oportunidades de voluntariadado e de carreira, seminários/tutoriais/labs, varsity teams (inter-universitário) e intramurals (intra-universitário), residências universitárias (residence life), eventos comunitários, entre tantos outros...! A Brock não faz só de nós melhores estudantes. Fazendo jus ao seu slongan (“For the both sides of the brain”), torna-nos melhores pessoas!

Como estudante internacional, estou condenada a ter saudades de casa... Como não quando a minha casa é a dez horas de distância? Contudo, quanto mais envolvida estou na Universidade e na Comunidade de Niagara, mais consigo ver esta Universidade como uma segunda casa. E a Brock tornou tudo mais fácil...

Experimenta a Brock! Faz parte dos melhores fãs do Canadá!

 


Abolição da pena de morte

abolicao pena morteNo dia 10 de Outubro de 2017 um grupo de alunos da Escola Secundária Vergílio Ferreira participou na atividade de comemoração dos 150 Anos da Abolição da Penade Morte promovida pela Amnistia Internacional.

A atividade consistiu na simulação de uma sessão da ONU, realizada no Auditório da Torre do Tombo. Cada grupo de alunos, frequentando escolas diferentes, discursou em representação de um país- aos nossos alunos calhou a representação da China. Os discursos efetuados tiveram grande qualidade e evidenciaram excelente preparação e conhecimento por parte dos alunos sobre os países que foram representar.Os alunos participaram depois num debate e tiveram oportunidade de exprimir as suas dúvidas e pontos de vista, numa discussão muito viva e participada.

Acabada a sessão, os nossos alunos consideraram que esta foi uma oportunidade muito enriquecedora que lhes permitiu confrontar as suas ideias com outras, por vezes muito diferentes. Uma aluna mencionou o facto, muito significativo para si, de ter tomado consciência clara de que a Justiça não deve nunca confundir-se com a vingança. Todos os alunos que participaram são de opinião de que é neste tipo de debates que se pode realmente aprender pois, mesmo que prevaleçam os seus pontos de vista iniciais, o confronto com outras ideias ajuda a consolidar os próprios valores- e a mudá-los, quando se é levado a compreender que são errados.


Maior lição do mundo

Na semana de 18 e 22 de setembro as turmas 11º 1, 2 e 6 e as turmas 12º 3 e 12º 10 da nossa escola aceitaram o desafio proposto pela UNICEF e a Direção Geral da Educação , «A Maior Lição do Mundo» e refletiram sobre o Desenvolvimento Sustentável – Da Ideia à Ação. Todos os alunos enfatizaram a necessidade de cada um de nós mudar muitos comportamentos para que o nosso planeta se torne mais habitável e, ao mesmo tempo, para respeitar os direitos essenciais das novas gerações a coisas tão básicas que estão agora ameaçadas como o direito à saúde, á água, à alimentação, à biodiversidade, ao prazer de desfrutar de uma paisagem natural não poluída nem destruída. Estas são algumas das propostas que os alunos envolvidos se propõem realizar:

  • Organizar grupos de voluntários que ajudem a limpar as matas e, dessa forma, prevenir incêndios que devastam o património florestal e a vida selvagem;
  • Organizar campanhas de sensibilização ambiental e de comportamentos de respeito com o ambiente para os alunos mais novos do agrupamento;
  • Solicitar às instituições políticas a melhoria dos transportes públicos e a utilização das energias menos poluentes em meios de transporte e iluminação;
  • Intervir junto das autoridades competentes para legislar e, de outro modo, ajudar a prevenir as descargas poluentes nos cursos de água e na atmosfera;
  • Desenvolver um sistema de recompensas (não necessariamente financeiras mas vantajosas em termos sociais) para os que reciclam e, de outras formas, protegem o ambiente e a biodiversidade.
  • Os nossos alunos envolvem-se nesta luta e estão de parabéns!


E o DELF?...

"O Club DELF cresceu!..." - dissemos numa notícia de há uns meses. E cresceu muitíssimo!

DELF 2017 1Vamos dar-vos as novidades:
- em 2016 apresentaram-se a exame 11 alunos; em 2017, foram 55, dos quais 50 obtiveram sucesso, a maior parte com ótimas classificações;
- no ano passado, a proposta foi feita apenas a alunos do 9º ano; agora, cerca de metade eram desse nível, outra metade do 8º; e houve ainda 2 estudantes do 10º que, mesmo não tendo a Francês no seu currículo, quiseram desenvolver as suas competências e prosseguir para um nível mais avançado;
- anteriormente, tinha havido candidatos apenas ao A2; este ano, tivemos B1 e B2;
- o projeto alargou-se a todas as escolas do 3º ciclo e ao Secundário.

E houve ainda outra grande diferença: tendo em conta o considerável número de alunos do AEVF
e as potencialidades, a nível do espaço físico, para receber candidatos de fora do Agrupamento,
a Escola Básica de São Vicente apresentou junto da Alliance Française a proposta de se tornar um centro de exames ("centre de passation"). Acolhemos, por isso, mais de 100 jovens, do 7º ao 12º ano e de todos os níveis de língua.
Os nossos visitantes eram provenientes dos seguintes agrupamentos ou estabelecimentos de ensino: A.E. de Massamá, A.E. Frei Gonçalo de Azevedo, Colégio do Sagrado Coração de Maria, Colégio Valsassina, EB 2+3 Ferreira de Castro, Escola Sec. Ferreira Dias e Instituto Espanhol.

DELF 2017 2

As provas, escritas e orais, realizaram-se entre os dias 2 e 4 de maio, com júris da Alliance Française.

Agradecemos aos professores de diversas disciplinas que foram vigilantes/aplicadores das provas e a todos os que viram as suas aulas e horários afetados por este motivo; aos funcionários, que se "desdobraram" em esforço e em tempo; às Coordenações e à Direção por todo o apoio prestado.

Pretendemos, em 2018, manter ou aumentar o nível de adesão a esta iniciativa, que, além de melhorar o desempenho em Francês, confere aos alunos um diploma que será uma mais-valia para a sua vida académica e profissional.

Os diplomas serão entregues em cerimónia própria, em setembro.


+ info

http://www.alliancefr.pt/af/lisboa/diplomas/delf-dalf
http://www.dge.mec.pt/quadro-europeu-comum-de-referencia-para-linguas


Concurso de Fotografia

 O júri concluiu o seu trabalho de escolha das fotos vencedoras nesta edição do concurso de fotografia "Dependências - com ou sem substâncias":

1º lugar- Sofia Almeida do 12º2ª
2º lugar- Mariana Trindade do 12º2ª
3º lugar- Maria João Faria do 9º2ª
4º lugar- Joana Lopes do 10º9ª
5º lugar- Matilde Martins do 8º2ª

Pode visualizar as suas fotografias aqui

 


Pilhão vai à escola

 

Aproxima-se o fim de mais uma campanha "Pilhão vai à Escola".
Como habitualmente contamos com toda a comunidade escolar para até dia 30 de Maio trazer as pilhas gastas que tenham em casa.
Vamos ganhar prémios para a nossa escola e proteger o ambiente!!!

 


Cyberbullying

Realizar-se-á no dia 17 de Maio, no auditório da escola Secundária Vergílio Ferreira, um seminário sobre o "Cyberbullying". 

Cartaz


Justiça para todos

 

Alunos de Filosofia e Psicologia da Escola Secundária Vergílio Ferreira participaram, com os respetivos professores, num projeto dos Ministérios da Justiça e da Educação.
Nos dias 4 e 5 de maio, cerca de 40 alunos viveram uma experiência na primeira pessoa, simulando o julgamento de três caos no Campus da Justiça em Lisboa, sob a presidência das Exmas. Srª Juízas de Direito Dra. Ana Paula Conceição e Dra Helena Leitão.
Esta foi uma experiência extraordinária para todos, que ajudou a compreender por dentro as questões do Direito e da Justiça e foi, para alguns, um teste de vocação futura.

 


Orçamento participativo

Resultado Votações dos Projetos

  • EBT
    • “Rádio EBT”, com 199 votos a favor
  • ESVF
    • “Mãos à Horta com Arte” – 162 votos a favor
  • EBSV
    • “Rádio Escolar” – 36 votos a favor
    • “Pouco a Pouco” – 30 votos a favor

(Con)viver com a História - A memória do Holocausto na Polónia

O Projeto (Con)viver com a História levou um grupo alunos das turmas do 12ª 10ª e do 12º 11ª até Cracóvia e aos campos de extermínio Auschwitz e Birkenau - Polónia.

As afirmações e o texto que se transcrevem nos parágrafos seguintes pretendem, a partir do relato da profundidade da experiência vivida, levar a que cada um dos leitores se deixe interpelar quanto ao seu compromisso com o bem comum da história dos nossos dias.

  • "fez-nos crescer e ver a vida de outra perspetiva";
    "Auschwitz- Birkenau foi ainda mais chocante do que previa";
  • "relembrar as histórias e nomes de inocentes [...] fez-me pensar, ainda mais, que em pleno século XXI existam situações semelhantes às suas";
  • "estando "lá" é tudo muito mais nítido e incontestável. É difícil de perceber como é que ainda existem pessoas a não acreditar no Holocausto."

Projeto "Miúdos a votos"

Numa iniciativa inédita, a Rede de Bibliotecas Escolares e a Visão Júnior, com o apoio da Comissão Nacional de Eleições, a Direção- Geral de Educação, o Plano Nacional de Leitura e a Pordata, organizaram a eleição dos livros preferidos dos alunos do 1º ao 9º ano de escolaridade. O processo foi semelhante ao de umas eleições políticas, com recenseamento, campanha eleitoral, votação e escrutínio dos votos.

A cerimónia de divulgação dos livros preferidos decorreu, no dia 20 de abril, na Escola Secundária Vergílio Ferreira e contou com a presença de autores e ilustres convidados, entre os quais o Senhor Ministro de Educação, Tiago Brandão Rodrigues, e o Senhor Secretário de Estado da Educação, João Costa. 

miudos a votos03 miudos a votos06 miudos a votos03 miudos a votos03

Formação em LGP

 Formação em Língua Gestual Portuguesa para a Comunidade Educativa do Agrupamento de Escolas Vergílio Ferreira. 

Nível 1 Nível 2

Quartas-feiras
das 18h até as 19h30.

  • Abril: 19 e 26;
  • Maio: 3, 10, 17 e 24 e 31;
  • Junho: 7, 14, 21 e 28; 

Quintas-feiras
das 17h30-19h30.

  • Abril: 20 e 27;
  • Maio: 4, 11, 18 e 25;
  • Junho: 1, 8, 22 e 29
formacaoLGP formacaoLGP

 BLOGUE DE APOIO À FORMAÇÃO

 


Workshop

No dia 3 de abril pelas 18h no auditório Manuela Esperança da ES Vergílio Ferreira, decorrerá um workshop de devolução dos resultados no âmbito do projeto cyberbullying, destinado a Pais, pessoal docente e não docente.